Significado da Nova Evangelização

“A nova evangelização tem,como ponto de partida,a certeza de que em Cristo há uma “riqueza insondável” (Ef 3,8),que não extingue nenhuma cultura de qualquer época,e à qual nós homens sempre podemos recorrer para enriquecer-nos (cf.Assembléia especial do Sínodo dos Bispos da Europa.Declaração final, 3).” (Beato João Paulo II,Discurso Inaugrual da IV Conferência de Santo Domingo,6).

“Uma atitude, um estilo audaz”, que se traduz na “capacidade por parte do cristianismo de ler e decifrar os novos cenários dentro da história dos homens, para habitá-los e transformá-los em lugares de testemunho e anúncio do Evangelho”, tudo isso é a “nova evangelização”, segundo os “lineamenta” (esboços) do próximo Sínodo dos Bispos, que terá por tema a “Nova evangelização para a transmissão da fé cristã” e se realizará, em Roma, de 7 a 28 de Outubro de 2012.

Os “lineamenta” oferecem a “distinção teórica” entre “nova evangelização que se dirige principalmente àqueles que se afastaram da Igreja e às pessoas baptizadas mas não suficientemente evangelizadas”, da “evangelização como actividade regular da Igreja” e do “primeiro anúncio ‘ad gentes’ àqueles que ainda não conhecem Jesus Cristo”, precisando, contudo, que as três categorias às vezes convivem no mesmo território.

A nova evangelização tenta novos caminhos frente às condições mudadas dentro das quais a Igreja está chamada a viver hoje o anúncio do Evangelho.

Os desafios que o contexto cultural e social actual lançam à fé cristã processam-se em vários cenários.

O primeiro dos cenários que interpelam hoje a fé cristã é a secularização. “Ainda que interesse principalmente ao mundo ocidental, dele se difunde para o mundo inteiro”, assumindo “um tom de renúncia que invadiu a vida quotidiana das pessoas e desenvolvendo uma mentalidade em que Deus está de facto ausente”. Outros desafios são lançados pelo fenómeno migratório, ligado à globalização; pela revolução informática com “os benefícios e os riscos da cultura mediática e digital”; pela economia, com os “crescentes desequilíbrios entre o norte e o sul do Mundo”. Também pela relação entre a ciência e a técnica, que correm o risco de se “converter nos novos ídolos do presente”; e pelo campo político, que está a criar “uma situação mundial com novos actores políticos, económicos e religiosos, como no mundo asiático e islâmico”.

Frente a esses atuais novos cenários, os cristãos, além de uma obra de discernimento sobre os sinais dos tempos, são chamados a “dar sabor evangélico aos grandes valores da paz, da justiça, do desenvolvimento, da libertação dos povos, do respeito dos direitos humanos e dos povos, sobretudo das minorias, como também da salvaguarda da criação e do futuro de nosso planeta”.É uma aventura evangelizadora inadiável.

A Nova Evangelização contém vários cenários em que os Lineamenta colocam para abordarem sobre esse objetivo de uma Nova Evangelização,portanto eis aqui os cenários para a Nova Evangelização:

  • Primeiro Cenário: Cenário de fundo cultural: Vivemos numa época de profunda secularização,que perdeu a capacidade de ouvir e compreender as palavras do Evangelho como uma mensagem viva e revigorante.”A convocação do Sínodo sobre a Nova Evangelização e a transmissão da fé situa-se dentro desta vontade de relançar o fervor da fé e do testemunho dos cristãos e das suas comunidades.” (Instrumentum Laboris,9)..
  • Segundo Cenário: O Cenário Social:  A este cenário social está ligado aquele fenômeno que se conhece pelo termo de globalização,realidade que não é fácil de decifrar,e que requer,por parte dos cristãos,um forte trabalho de discernimento.”Por outro lado, não podemos esquecer que, nosso contexto cultural,há muitas pessoas que embora não reconhecendo em si mesmas o dom da fé,todavia vivem uma busca sincera do sentido último e da verdade definitiva acerca da sua existência e do mundo.” (cf.Carta Apostólica Porta Fidei n.10).
  • Terceiro Cenário: Os desafios dos meios de comunicação social: Hoje oferecem enormes possibilidades e representam um dos grandes desafios para a Igreja.Inicialmente característico apenas do mundo industrializado,o cenário que apresentamos é capaz de afetar hoje uma grande parte dos países em vias de desenvolvimento.Segundo o que incentiva o Concílio Vaticano II, no Decreto Inter Mirifica nos faz essa iniciativa: “Estão comprometidos por especiais obrigações todos os usuários,isto ém os leitores,os espectadores e os ouvintes que por uma escolha pessoal e livre recebem as comunicações difundidas por estes instrumentos.” (IM 9).
  • Quarto Cenário: Cenário econômico: Inúmeras vezes,o Magistério dos Sumos Pontífices denunciou os crescentes desequilíbrios entre o Norte e o Sul do mundo,no acesso e na distribuição dos recursos,bem como danos causados.A continuação da crise econômica em que nos encontramos assinala o problema do uso das forças materiais,que sente dificuldades em encontrar as regras de um mercado mundial capaz de tutelar uma convivência mais justa.
  • Quinto Cenário: A investigação científica e tecnológica: Vivemos numa época que ainda não recuperou da estupefacção pelos constantes alvos que a investigação nestes tempos tem sido capaz de superar.Todos podemos sentir na vida diária os benefícios trazidos por estes progressos.
  • Sexto Cenário: O Cenário da Política: Desde o Concílio Vaticano II até hoje as mudanças podem,justamente ser definidas como epocais.Chegou ao fim, com a crise da ideologia comunista,a divisão do mundo ocidental em dois blocos.Isso favoreceu a liberdade religiosa e a possibilidade de reorganização das Igrejas históricas.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s