A alegria do Evangelho: Alicerce da fé

A alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus.Quantos se deixam salvar por Ele são libertados do pecado,da tristeza,do vazio interior,do isolamento.Com Jesus Cristo,renasce sem cessar a alegria.(Evangelii Gaudium,n.1).

A Nova Evangelização,é um exemplo de que somos chamados a termos em nosso coração,o desafio de sermos chamados a sermos discípulos e missionários na vida e na missão da Igreja,o chamado de Deus em sermos uma Igreja “em saída” (cf.Idem,n.20).O propósito desse encontro de missão,nos interessa em saber o quanto que cada um de nós precisamos sair da zona de conforto,levando no coração de cada cristão,sair das suas comodidades,e somos chamados também a exercer o nosso ministério na Igreja,para que sejamos uma Igreja discípula e missionária.O Documento de Santo Domingo,nos ensina que “A nova evangelização tem como finalidade formar pessoas e comunidades maduras na fé e dar respostas á nova situação que vivemos,provocada pelas mudanças sociais e culturais da modernidade.Há de ter em conta a urbanização,a pobreza e a marginalização.” (n.26).

1.A Igreja que queremos ser.

A Diocese de Campos,RJ realizou durante dois anos o seu 1º Sínodo Diocesano em ocasião especial,pelos 90 anos da criação da Diocese,o tema do sínodo foi a citação bíblica que está em Jo 4,35b: “Erguei os olhos e vede:Os campos estão brancos para a ceifa”.Com essa proposta foi elaborado o Documento Sinodal que fez jus e honra ao lema escolhido,pois a safra foi farta e abundante,mostrando um Povo de Deus amadurecido na caminhada dos 90 anos.Mais,conseguiu apresentar um perfil da  Igreja definida e propositiva.Queremos ser Igreja que o Papa Francisco quer: arrojada,profética,participativa,solidária e missionária.As conclusões oferecem uma sistematização canônico-administrativa com normas que incorporam a legislação pós codicial destes 31 anos de vigência do Código,assumindo especialmente aquilo que o Direito Comum deixa para o âmbito diocesano e das diretrizes pastorais inovadores na perspectiva das orientações da CNBB e de nosso Regional Leste 1. A normativa atualiza os diretórios sacramentais,na visão de uma catequese catecumenal,disciplinar e de iniciação cristã.”Esta caminhada confirma o princípio do Papa Francisco: o processo é mais importante que o espaço,o diálogo mais formativo que o conteúdo sem reflexão.Basta agora aplicá-lo e torná-lo instrumento a serviço da vida eclesial e da comunhão,para sermos uma Igreja em processo de saída e em missão permanente” (Dom Roberto Francisco Ferreria Paz,Bispo Diocesano de Campos,RJ)..

2.Igreja em processo de “saída”.

“Ainda hoje há tanta gente que não conhece Jesus Cristo. Por isso, continua a revestir-se de grande urgência a missão ad gentes, na qual são chamados a participar todos os membros da Igreja, pois esta é, por sua natureza, missionária: a Igreja nasceu «em saída»”.(Papa Francisco,Mensagem para o Dia Mundial das Missões de 2014).

A proposta de que a Igreja em processo de “saída”,como nos pede o Papa Francisco,precisamos ser uma Igreja missionária,precisamos tornar cada vez mais a nossa missão de evangelizar,visitar as comunidades carentes,visitar as famílias e especialmente aos humildes,precisamos ser essa Igreja em saída missionária,nós que temos uma missão enviada por Jesus,em seu mandato missionário o “Ide” (cf.Mt 28,19),nos propõe a seguirmos esses passos de Jesus queremos seguir esses passos que nosso Senhor,nos mandou,é preciso levar essa missão a sério,é sempre importante lembrar que “A Igreja “em saída” é a contundente proposta que nos é apresentada hoje.É o convite a uma Igreja de discípulos missionários,o que significa ousar um pouco mais na ação evangelizadora,tomar iniciativas.” (cf.CNBB,Estudo 107 Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade,n.149).

Que essa formação,nos dê uma ampla experiência onde todos nós sejamos uma Igreja em processo de saída,em processo de formar discípulos e missionários,no qual temos a graça de que a proposta feita pelo Papa Francisco e pela nossa Diocese de Campos,a Igreja que queremos ser,pois precisamos estar unidos em comunhão com toda a Igreja,precisamos estar levando em nosso coração o nosso chamado de servir a Igreja,como incentiva a Campanha da Fraternidade desse ano de 2015 “Eu vim para servir” (cf.Mc 10,45),é esse o caminho que queremos prosseguir levando a nossa missão de evangelizar,com um aspecto profundo da nossa vida espiritual em nossas paróquias,e comunidades.

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.Para sempre seja louvado!

Joseph Charles D´Almada Batista

Ministério dos Leitores-Paróquia do Sagrado Coração de Jesus

Estudante do 1º ano de Teologia da Escola de Teologia Mater Ecclesiae

Membro da Comunidade Fraternidade Pequena Via,Comunidade de Aliança-Campos,RJ

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s